história

O Movimento ECO - Empresas contra os Fogos, lançado em 2007 e apoiado pelo então Ministro da Administração Interna Dr. António Costa, é hoje uma das maiores iniciativas de responsabilidade social coletiva em Portugal e um desígnio nacional na prevenção dos incêndios florestais.

Presidido pelo Dr. Murteira Nabo, reúne um conjunto de empresas nacionais que cedem os seus meios de divulgação próprios, internos e externos, para transmitir mensagens de prevenção dos incêndios florestais. Desta forma, as empresas assumem um papel determinante, divulgando mensagens de sensibilização sobre os comportamentos de risco e a defesa das florestas.

Uma iniciativa que, ao longo dos últimos 10 anos, tem feito muito pela defesa das floresta portuguesas, mas que pode fazer muito mais. Afinal, Portugal sem fogos depende de todos.

objetivos

A floresta portuguesa desempenha um papel essencial na economia e no desenvolvimento sustentável do país. Por essa razão, são objetivos primordiais do Movimento ECO:

1. Colaborar ativamente na preservação da floresta, um recurso estratégico para o desenvolvimento do país;

2. Consciencializar a sociedade civil para a necessidade de preservar a floresta;

3. Mobilizar os cidadãos para uma atitude de participação cívica ativa na proteção da floresta;

4. Estimular e sensibilizar as empresas e as instituições para a divulgação de mensagens de prevenção de comportamentos de risco junto dos cidadãos;

5. Reduzir o número de incêndios e a área ardida;

Envolvimento Empresarial

Ao longo destes 10 anos, foram centenas as empresas que se associaram a esta causa, assumindo um papel determinante no combate à destruição do património natural português, divulgando mensagens de sensibilização sobre os comportamentos de risco e a defesa das nossas florestas. 

Diversas ações foram desenvolvidas e muitas delas implementadas por iniciativa própria dos parceiros:

Comunicação externa: sacos de compras, decoração de portas, cartazes e folhetos nos hipermercados e postos de abastecimento de combustível, packaging de produtos de grande consumo com mensagens específicas, decoração de locomotivas, anúncios de imprensa, outdoors e mensagens nos painéis informativos das autoestradas.

Comunicação interna: newsletters, televisão interna, intranet ou site institucional, e-mailings, redes sociais e portais.

Veja aqui o relatório de actividade.